A cidade fortaleza, sentinela de fronteira, tem muito para descobrir e aqui deixo-vos o que fazer em Bragança.

A capital de distrito mais a norte e a segunda menos populosa guarda um rico património cultural e arquitetónico. Por aqui andaram os celtas que apelidaram os brigantinos, os romanos que colonizaram e organizaram o território, os suevos e visigodos que desenvolveram a agricultura e os mouros que deixaram vestígios em muitos dos nomes das povoações.

O que fazer em Bragança

1 – Castelo de Bragança

Sendo um dos castelos mais bem preservados e mais importantes de Portugal, o Castelo de Bragança atesta a importância histórica desta urbe como cidade fortaleza. Localizado na margem do rio Fervença, a sua construção remonta ao início da época medieval, no reinado de D. Dinis (século XIII).

Ao longo dos séculos o castelo foi sendo alvo de melhorias e reconstruções, sendo que hoje distingue-se ao longe a Torre de Menagem, símbolo de poder e último reduto de defesa da cidade. É aqui que funciona o Museu Militar de Bragança, com peças que vão desde o século XII à 1ª Guerra Mundial. Em torno do castelo, encontra-se a cidadela fortificada, com ruelas estreitas e de pedra, um núcleo urbano que existe desde o século XII e que guarda mais que 800 anos de história.

O Museu Militar de Bragança funciona de terça-feira a domingo das 9h às 12h e das 14h às 17h.

o que visitar em bragança

2 – Domus Municipalis

Ainda dentro da cidadela em torno do castelo, encontra-se o Domus Municipalis, prova do espírito comunitário e autónomo de Bragança. Edificado no início do século XVII, este edifício é um exemplar único de arquitetura civil em estilo românico.

Ainda que os fins de utilização do Domus Municipalis não sejam totalmente claros, acredita-se que tinha duas câmaras com dois grandes objetivos: o piso inferior funcionava como cisterna para armazenar água e o piso superior era um salão municipal, onde os “homens bons” da cidade se reuniam periodicamente para tomar decisões sobre a gestão da cidade, já que a capital lisboeta ficava a muitos quilómetros de distância (e dias de viagem).

3 – A “Porca” do Pelourinho Medieval

Continuando na cidadela, irão encontrar o pelourinho medieval mais caricato de sempre. Apesar da edificação da coluna principal com a cruz datar do século XIII (do mesmo período histórico da edificação inicial do castelo), na base do pelourinho encontra-se uma enorme estátua da “porca da vila” (uma escultura proto-histórica, provavelmente do século 400 A.C.), associado a um simbolismo pagão de poder. Não se sabendo ao certo o porquê da inclusão desta estátua num monumento que representa o poder municipal e a unidade da nação, a minha teoria é que, tal como o Domus Municipalis, a “porca da vila” atesta, mais uma vez, a afirmação de Bragança como uma cidade autónoma e de poder no período medieval.

4 – Museu Ibérico da Máscara e do Traje

Bragança prima pela qualidade dos seus museus. O primeiro da lista é o Museu Ibérico da Máscara e do Traje, onde se encontram os trajes dos mascarados.

Afirmando-se como um espaço de divulgação das tradições relacionadas com as máscaras da região transmontana e de Zamora, o seu principal objetivo é dar a conhecer este elemento cultural único utilizado nas chamadas “festas de inverno” que decorrem nesta região desde a quadra natalícia ao período do Carnaval.

O museu funciona de terça a domingo, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00. Tem um custo de admissão de 1 euro, e podem também ser agendadas visitas guiadas. Fica localizado na rua D. Fernão “O Bravo”, 24/26.

o que fazer em bragança

5 – Centro de Arte Contemporânea Graça Morais

Aquela que é talvez a pintora portuguesa mais conceituada de sempre nasceu numa vila no distrito de Bragança e é aqui que se encontra o centro de arte que lhe presta homenagem com exposições permanentes e temporárias que mostram o espólio de Graça Morais e outros artistas contemporâneos. Um museu absolutamente obrigatório para visitar em Bragança.

O Centro de Arte Contemporânea Graça Morais encontra-se no antigo Solar dos Veiga Cabral, recuperado pelo arquiteto Souto Moura e inaugurado em 2008. Encerra à segunda-feira. Está aberto das 10h00 às 18h30 e a entrada custa 2 euros.

o que fazer em bragança

6 – Museu do Abade de Baçal

Localizado no antigo Paço Episcopal de Bragança, o museu do Abade de Baçal constrói uma narrativa social, histórica, religiosa e política da região transmontana, desde os tempos da pré-história ao século XIX.

O museu funciona de terça a domingo das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00. Fica localizado na rua Abílio Beça, 27.

7 – Igreja de São Bento

A primeira das três igrejas mais importantes da região foi edificada no século XVI e ainda hoje são visíveis as pedras de armas na fachada e o frontão de estilo barroco.

No interior da igreja de São Bento, além das pinturas de Manuel Caetano Fortuna, temos a capela-mor com um retábulo do século XVIII.

8 – Igreja de Santa Maria

Localizada dentro das muralhas da cidadela, a igreja de Santa Maria – também conhecida por igreja de Nossa Senhora do Sardão – é a mais pitoresca. Considerada como a mais antiga da cidade, foi alterada ao longo do tempo e hoje apresenta um estilo barroco, com duas colunas frontais decoradas com vides e cachos.

O interior é composto por três naves decoradas por pinturas cenográficas. Destaca-se também a capela-mor e o retábulo a Santo Estêvão.

o que fazer em bragança

9 – Igreja de São Vicente

Esta igreja passa despercebida se não soubermos a lenda que ali mora. Acredita-se que foi neste local que D. Pedro e D. Inês de Castro se casaram em segredo. A revelação feita por D. Pedro depois de se tornar o oitavo rei de Portugal nunca foi provada, mas nas traseiras da entrada da igreja encontra-se o painel em azulejo que relembra o drama amoroso mais popular da história portuguesa.

o que fazer em bragança

10 – Corredor Verde do Fervença

Este espaço verde acompanha o rio Fervença do castelo à Ponte do Fervença, ao longo de duas vias pedonais, uma em cada lado do rio. Ao longo do percurso existem várias pontes de ferro que permitem atravessar o rio. Ao longo do ano existem várias feiras, exposições e atividades organizadas ao ar livre que por aqui passam e que dão vida ao Parque Urbano do Fervença, tornando-o um local indispensável a visitar em Bragança.

11 – Miradouro de São Bartolomeu

Localizado a menos de 5 quilómetros do centro da cidade, a subida ao miradouro de São Bartolomeu dá-nos uma panorâmica ampla de Bragança e do seu castelo.

Fica localizado na Estrada de São Bartolomeu, em frente ao Santuário de São Bartolomeu.

12 – Centro de Ciência Viva de Bragança

Para os mais novo, o Centro de Ciência Viva de Bragança permite explorar temas como a energia, o ambiente e a reciclagem, através de várias exposições permanentes: “Pegada Ecológica”, “Corrida de Caracóis”, “Bolo de Anos” e “Ambiente e Qualidade de Vida”.

O centro funciona de terça a sexta das 10h00 às 18h00, e sábado, domingos e feriados das 11h às 19h00. A admissão custa 2,50€ (1€ para crianças até aos 6 anos).

O que fazer em Bragança – Onde Dormir

Eu fiquei alojada no Hotel S. Lázaro, em Bragança. É um hotel grande e standard, fora do centro histórico e numa zona com pouco charme. A estrutura do hotel é antiquada e o mobiliário está a precisar de ser renovado. Ainda assim, serviu as necessidades e o jantar até surpreendeu. Contudo, existem outras opções de Alojamento em Bragança. Procurem no Booking para Bragança, o site de alojamento que normalmente utilizo para as minhas viagens.

Gostaram do artigo? Leiam também o artigo sobre o Parque Natural de Montesinho, o artigo sobre Rio de Onor e as 10 Curiosidades sobre Trás-os-Montes. Reservem alojamento de forma segura em Trás-os-Montes aqui. Se gostaram de artigo, podem seguir o Facebook do Contramapa, o Instagram e o Twitter.

 

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

3 replies
  1. Alexandre Rodrigues
    Alexandre Rodrigues says:

    Boa tarde a todos,

    Irei visitar Angola pela primeira vez este anos e ficaria grato por algumas dicas, conselhos, lugares para visitar e nao visitar, precaucoes a tomar, etc etc

    Ca ficarei aguardando os vossos conselhos e reconselhos.

    Obrigado

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.