A área que é conhecida hoje como a Chinatown de Londres começou a desenvolver-se nos anos 1970 e surgiu com o aparecimento de alguns restaurantes chineses em Lisle Street. Hoje, a zona tem mais de 80 restaurantes asiáticos – não só chineses – com alguma da melhor cozinha oriental.

Da última vez que fui a Londres visitei a zona de Chinatown e conheci o Jack,  um estudante chinês a viver na capital britânica e que é um ativista pelos direitos humanos. Todas as tardes vem para a Chinatown explicar a perseguição que é feita na China aos praticantes do Falun Gong.

Vejam abaixo o vídeo com legendagem em português.

 

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

12 replies
  1. Ruthia
    Ruthia says:

    A China vai-se abrindo aos poucos ao mundo mas ainda tem muito que evoluir em relação à liberdade de expressão. Quando estive em Praga, também havia lá manifestantes chineses que tentavam denunciar alguns tipos de perseguição… manifestam-se na Europa porque na China não podem!

    Responder
  2. Pelcio Ricardo de Almeida
    Pelcio Ricardo de Almeida says:

    Muito interessante seu olhar para o que outros turistas não veem. Levar ao mundo o conhecimento de que ainda existem pessoas que sofrem por acreditar em algo diferente da maioria é de fator constrangedor para uma sociedade que se diz “evoluída”. Parabéns pelo artigo.

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.