,

Arte e Comunidade nos Nomadic Gardens em East London

Gosto muito de Londres. É uma cidade de uma diversidade imensa e de um dinamismo impressionante. Encontramos pessoas de todas as origens e de todas as culturas. E a cidade está sempre a mudar. Se num ano descobrimos o nosso café preferido, no ano seguinte ele já lá não está e foi substituído por uma loja de roupa vintage.

Da última vez que fui a Londres encontrei um sítio que simboliza isso mesmo: os Nomadic Gardens. Estas hortas comunitárias ficam localizadas em Brick Lane, uma zona historicamente menos favorecida que é conhecida pela imigração de países como Bangladesh, e onde se comem bons pratos de caril.

Contudo, nas últimas décadas, Brick Lanecomo toda a zona de Shoreditch, tem sido alvo de gentrificação, o que tem tido impacto na sua demografia. Os edifícios antigos têm sido renovados, novos edifícios têm sido construídos, a segurança pública e os transportes melhoraram… e tudo isto fez aumentar o preço das rendas tornando muito difícil para os moradores históricos continuarem a viver por ali.

dsc01617

Como forma de protesto e alerta público, foram então criados os Nomadic Gardens, junto a Brick Lane. Localizados junto a uma linha férrea, não são apenas umas hortas comunitárias para os moradores da região. São também um espaço que acolhe vários estúdios de street art construídos pelas próprias mãos dos artistas. Funcionam como um “terceiro” espaço na vida do cidadão para além da “casa” e do ‘”trabalho”. Um espaço onde é possível construir relações de proximidade baseadas na partilha e na auto-ajuda.

E tendo em conta o aburguesamento desta parte da cidade, os Nomadic Gardens são também efémeros. Isto porque o espaço que ocupam foi adquirido para a construção de um empreendimento imobiliário e a data de fecho da horta é uma incógnita.

Nos Nomadic Gardens encontrei a loja do Oliver, a Calm Goods. No pequeno estúdio, este artista plástico e alguns dos seus convidados transformam pranchas de skate antigas em obras de arte. Uma percentagem dos lucros da venda destas peças reverte para uma associação local, o que na perspectiva do Oliver contribui para a criação de um sentido de comunidade em Brick Lane.

Vejam a entrevista abaixo.

Gostaram da entrevista do Diz Que Disse em Brick Lane, em Londres? Sigam então o Contramapa no Facebook, Instagram e Twitter.

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

Novidades, dicas de viagem e promoções diretamente na tua caixa de entrada. Introduz o teu e-mail para saber tudo em primeira mão.

CONTRAMAPA

15 comentários
  1. VIVIMETALIUN
    VIVIMETALIUN says:

    Ola anjo feliz e grandioso ano de prosperidade para você,obrigada por sempre está me visitando me fazendo companhia no blog,espero para ti muitas coisas boas,muita saúde ,muita paz e muitas aventuras e viagens

    Responder
  2. Marlene Marques
    Marlene Marques says:

    Oi Diana! Super interessante este conceito dos Nomadic Gardens. E muitos parabéns pelo vídeo! Adoro estas tuas entrevistas. Mostram-nos os locais pela perspectiva de quem lá está e vive. Muito bom trabalho de montagem! 🙂

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Obrigada Marlene! Sim, o objetivo é mesmo esse, porque acabamos sempre por aprender qualquer coisa com os locais! Se fores a Londres não deixes de visitar os Nomadic Gardens, é um conceito mesmo diferente e mesmo ali ao lado de Brick Lane! bjs

      Responder
  3. Francisco Agostinho
    Francisco Agostinho says:

    Olá Diana, muito interessante isto dos Nomadic, por um lado é bom os centros históricos estarem a mudar mas isso que acontece nesse bairro do aumento brutal dos preços é algo que também acompanha essa mudança e não só em Londres. Muito bom post, como sempre ! Dos meus blogs favoritos “no doubt !

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Obrigada Francisco!! Sim acontece em muitas zonas em muitas cidades, mas já tem um nome próprio que é “gentrification”. Em Lisboa também já estamos a notar nisso nos bairros históricos onde antigamente eram muito degradados e a população é idosa. É sinal da mudança dos tempos, mas existem inconvenientes também infelizmente.. Porque nada é perfeito!

      Responder
  4. Pedro
    Pedro says:

    Muito interessante, não conhecia os Nomadic Gardens. Trabalhei há alguns anos não muito longe de Bricklane e hoje em dia raramente volto por lá. Um grande erro meu, acabei de me dar conta.

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Pedro, se ainda estás por Londres, aproveita e faz uma visita. Até porque o espaço há-de desaparecer em breve para dar lugar a um condomínio ou algo do género. É um conceito mesmo diferente!

      Responder
  5. Danielle Bispo
    Danielle Bispo says:

    Muito interessante. Londres já é o máximo, Brick Lane então nem se fala. Não conheço pessoalmente mas já li que é um bairro que antes marginalizado e hoje se tornou o queridinho dos modernosos. Estou louca para conhecer.
    bjs
    Dani Bispo
    abolonhesa.com

    Responder

Deixa um comentário

Gostaste do artigo?
Tens dicas para partilhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.