,

Roteiro no Japão: 3 semanas

Planear um roteiro no Japão para 3 semanas não é nada fácil! Este foi provavelmente o maior esforço que fiz ao detalhar um plano de viagem, principalmente porque quisemos sair um pouco dos roteiros turísticos mais conhecidos. Por vezes é difícil encontrar informação, temos de fazer escolhas difíceis, existem muitos sites apenas em japonês e a barreira cultural é gigante.

Posto isto, depois de um árduo trabalho, lá conseguimos montar o nosso roteiro no Japão para 3 semanas. Preocupámo-nos em incluir diferentes experiências que retratam a identidade japonesa: desde a azáfama das grandes cidades, ao descanso das cidades termais, à natureza e às pequenas cidades tradicionais.

Mal embarquei nesta viagem, e já tenho pena de alguns locais que ficaram de fora: o país é grande e não conseguimos ver tudo nestas 3 semanas. Ainda assim, se estiverem a planear uma viagem, espero que este roteiro no Japão vos ajude. Caso vos ajude, poderão enviar-me e-mail se quiserem ter acesso à folha de excel do planeamento. Aviso à navegação: as decisões de planeamento são muitas e difíceis de tomar!

roteiro no japão 3 semanas

Roteiro no Japão para 3 semanas

Sapporo (2 noites) – Dia 1

Começamos o roteiro no Japão pelo norte, na ilha de Hokkaido. Sapporo é a 4ª maior cidade do país, conhecida pela fábrica da cerveja Sapporo. A cidade tem outras atrações como o Shiroi Koibito Park, o Ōdōri Park e a Clock Tower. É também conhecida pelos deliciosos ramen.

Leiam aqui o artigo sobre Sapporo: chocolate, cerveja e ramen.

Noboribetsu (1 noite) – Dia 2

Há centenas de termas naturais no Japão e estas fazem parte do estilo de vida japonês, que inclui o usufruto das suas propriedades terapêuticas. Para curar definitivamente o jetlag, vamos a uma cidade termal. Noboribetsu fica junto ao vale Jigokudani, que é a fonte destas águas termais.

Hakodate  – Dia 3

Esta cidade piscatória foi em tempos a maior da ilha de Hokkaido e o primeiro porto a abrir ao comércio internacional no século XIX. Depois de um grande fogo em 1934, não voltou a ganhar o vigor perdido. Hoje, os visitantes vêm até aqui principalmente pelo peixe fresco: donburi. A cidade tem também uma das vistas nocturnas mais belas do Japão, no topo do monte Hokadate.

Lake Towada (2 noites) – Dia 4, 5

O Towada é o maior lago cratera na ilha de Honshū, no Japão. Iremos estar dois dias nesta região, na pequena cidade de Yasumiya, junto ao rio Oirase. Mais a sul, iremos visitar também o lago Tazawa.

Nyuto (1 noite) – Dia 6

O roteiro no Japão não estaria completo sem mais uma visita às termas. Em Nyuto iremos visitar umas termas tradicionais.

Takayama (2 noites) – Dia 7

Esta cidade de pequenas ruelas fica junto às montanhas dos Alpes japoneses. É uma cidade muito popular e pitoresca, e nós vamos visitá-la numa das melhores alturas: durante o festival de boas-vindas à primavera. Alerta cerejeiras em flor!

Shirakawa-go (1 noite) – Dia 8

As aldeias de Shirakawa-go e Gokayama são património mundial da UNESCO, famosas pelas suas casas tradicionais de madeira, algumas com mais de 250 anos. Aqui, vamos visitar a aldeia de Ogimanchi (em Shirakawa-go).

Kanazawa – Dia 9

Esta cidade histórica tem edifícios bem preservados do período Edo, altura em que esta era uma das cidades mais importantes do Japão com uma vida cultural intensa. Escapou à destruição da II Guerra Mundial (tal como Quioto) e portanto tem os bairros tradicionais e o castelo bem preservados.

Himeji (1 noite) – Dia 10

O grandioso castelo de Himeji é um dos poucos sobreviventes dos período feudal japonês e é de visita obrigatória. Com 6 andares, ergue-se imponente sobre os jardins de cerejeiras, uma imagem icónica do Japão.

Hiroshima e Miyajima (2 noites) – Dia 11

Em Hiroshima vamos ver o Memorial da Paz, que recorda os danos causados pela bomba atómica. Junto à cidades, há também a ilha de Miyajima / Itsukushima, onde fica um dos mais populares templos da religião Xinto.

Leiam o artigo: Hiroshima – As bombas de napalm são brinquedos.

Quioto (4 noites) – Dia 12, 13, 14, 15

A ancestral Quioto foi capital do império japonês do século VIII ao século XIX, altura em que foi substituída por Tóquio. Hoje, mantém-se como a alma da tradição e cultura japonesa, com muitos edifícios anteriores à II Guerra. Tem mais de 1600 templos budistas e 400 templos xintoístas.

Vejam a entrevista que fiz a Mitsuru, um sushi e sakeman de Quioto.

Osaka (1 noite) – Dia 16, 17

Sendo a terceira maior cidade do Japão, Osaka tem bastante entretenimento, arquitetura moderna, vida noturna e street food, sendo uma cidade jovem e vibrante.

Monte Fuji (1 noite) – Dia 18

Com 3776 metros de altitude, o Monte Fuji é o mais alto do Japão e uma das imagens mais retratadas do Japão. Por aqui, vamos passar um dia a apreciar as vistas e a natureza, já que as caminhadas até ao cume apenas são permitidas no pico do verão.

Leiam o artigo: 24 horas no Monte Fuji.

Tóquio (5 noites) – Dia 19, 20, 21, 22

A capital do Japão é a metrópole mais populosa do mundo com uma área metropolitana de 37 milhões de habitantes. Acredito que me vou surpreender e que a cidade tem uma onda diferente de tudo o que já vi!

Finalmente, leiam também a minha preparação literária para o Japão. Fica aqui um pequeno resumo da minha viagem:

Ajudei-vos a planear a vossa próxima viagem com o roteiro no Japão para 3 semanas? Vão fazer uma viagem semelhante e querem saber mais? Sigam o Contramapa no Facebook, Instagram e Twitter. Têm outras dicas ou dúvidas? Deixem nos comentários ou escrevam para geral@contramapa.com

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

Novidades, dicas de viagem e promoções diretamente na tua caixa de entrada. Introduz o teu e-mail para saber tudo em primeira mão.

CONTRAMAPA

8 comentários
  1. Catarina Gralha
    Catarina Gralha says:

    Como te compreendo… Escolher uma cidade ou local implica sempre deixar outro de fora. O tempo não é infinito, e é necessário fazer escolhas. De qualquer das formas, parece-me um roteiro bem interessante! Quando regressar ao Japão (desta vez “a sério” e não em trabalho), venho aqui inspirar-me 🙂

    Responder
  2. Carol
    Carol says:

    Diana, estou adorando o seu relato sobre o Japão vou agora em novembro e gostaria de uma ajuda, Hiroshima e Miyajima ou tentar ver o monte fuji e Kawazawa sei que um lugar e diferente do outro mas tenho que escolher rsrs, o que você faria?
    Outra coisa estou louca para ler sobre seu roteiro em TOKYO, você nao vez, vai fazer?

    Parabéns pelo blog estou adorando suas dicas.

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Olá Carol! Obrigada pelo comentário 😀
      Opá, essa é uma escolha difícil. Eu adorei Miyajima, mesmo. Hiroshima é uma cidade moderna, com menos para ver, mais para “sentir” pelo monumento ao Holocausto.
      Contudo, eu acho que se tivesse de escolher, preferia ficar pela região de Kanazawa, mas visitar também Takayama e Shirakawa. Acho que dispensava a viagem ao Monte Fuji e preferiria ir a Takayama e Shirakawa. Mas são as minhas opções!
      O roteiro de Tóquio ainda não fiz, mas está nos meus planos para breve! 😀 O que Quioto já está publicado!
      Beijinhos e BOA viagem!!

      Responder

Deixa um comentário

Gostaste do artigo?
Tens dicas para partilhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.