visitar big sur

Depois de um longo dia em Los Angeles, Venice Beach e Santa Monica, foi tempo de pôr os cabelos ao vento e seguir para norte pela Pacific Coast Highway. O nosso destino final era São Francisco, mas já lá vamos… Antes disso tínhamos de visitar Big Sur e Monterey!

Pacific Coast Highway

A Pacific Coast Highway – ou Highway One Classic ou California State Route 1 – é uma das grandes estradas cénicas dos Estados Unidos. Percorre mais de 1.000 kms de estrada, desde Dana Point (em Orange County, no sul da Califórnia) até Leggett (cerca de 350kms a norte de São Francisco), e passando pelo Big Sur. Passa por grande parte das praias californianas, numa aventura costeira que se deve fazer de descapotável!

visitar big surNós fizemos o troço de Los Angeles até São Francisco e posso confirmar que este é um percurso esplêndido. Começámos o caminho numa numa auto-estrada de várias faixas, normalíssima e condicionada até dizer chega. Mas, à medida que fomos rumando a norte, fugimos das massas do sul da Califórnia e aproximámo-nos da costa muito menos explorada dos Estados Unidos.

É possível fazer o percurso de Los Angeles a São Francisco num único dia, mas o ideal é tirar 2 ou 3 dias, para relaxar nas praias e conhecer as pequenas cidades que há pelo caminho.

Ainda perto de Los Angeles, há as praias de Malibu e a praia de El Matador (na foto abaixo). Mas é só depois de passarmos Santa Barbara, Pismo Beach e San Luis Obispo que o trajeto se torna realmente bonito. É aqui que nos começamos a aproximar do Big Sur.

visitar-big-sur

Visitar Big Sur

O Big Sur é uma zona da Califórnia Central que se estende de Ragged Point até Carmel-by-Sea (no total, são cerca de 122 kms). É uma zona isolada e praticamente desabitada, quer seja na costa repleta de praias selvagens e desfiladeiros, quer veja no interior, onde se encontra a Floresta Nacional Los Padres.

visitar big sur

Esta é uma zona bastante protegida, onde as paisagens são de cortar a respiração. Encontrámos praias repletas de leões-marinhos, mas existem muitos outros prodígios da Fauna e da Flora. Elefantes-marinhos, o condor da Califórnia, as trutas arco-íris, os ursos cinzentos, as magnólias, as panteras e os javalis selvagens.

visitar big sur

visitar-big-sur-6

Visitar Big Sur tanto pode ser feito numa tarde, como em 3 ou 4 dias. Nós acabámos por passar aqui apenas 1 dia, mas ficou a vontade de ficar por aqui a acampar e explorar os trilhos que se podem fazer a pé. Os pontos mais interessantes que se podem visitar de carro incluem a Pfeiffer Beach, as McWay Falls, Point Lobos e Point Sur (onde se encontra um farol – foto abaixo). Cliquem aqui para mais informação.

visitar big survisitar-big-sur-8

Visitar Carmel-by-the-Sea 

Quando terminámos esta de visitar Big Sur, fomos passar o final de tarde a Carmel-by-the-Sea, uma pequena e encantadora cidade costeira. Com menos de 4.000 habitantes, a povoação é historicamente habitada por artistas, escritores e poetas.

visitar big sur

Em 1905 o poeta e dramaturgo George Sterling mudou-se para cá e ajudou a estabelecer uma comunidade literária. O artista Arnold Genthe fez o mesmo no ano seguinte, contribuindo para o estabelecimento dos artistas visuais.

Ao longo dos anos, muitos outros artistas e intelectuais os acompanharam ou decidiram passar cá grandes temporadas, incluindo Charles Chaplin e Sinclair Lewis (primeiro Nobel da Literatura norte-americano). Clint Eastwood chegou inclusivamente a ser o mayor de Carmel-by-the-sea.

visitar big sur

A nós, pareceu-nos uma cidade de gente endinheirada, composta de ruas silenciosas e belas vivendas espaçosas plantadas quase à beira-mar. Definitivamente, tem um charme especial e também eu me via a passar uma temporada aqui, pretensões artísticas à parte.

Visitar Monterey 

A uns meros 6 kms de distância de Carmel-by-the-Sea, fica Monterey, fundada em 1770 quando a Califórnia era ainda uma colónia espanhola. Foi capital da Califórnia durante o domínio espanhol e mexicano.

visitar-big-sur-29

Até aos anos 1950s foi uma cidade com uma forte economia piscatória, mas a partir dessa altura e devido à sobrepesca, a indústria entrou em declínio.

Contudo, vários vestígios da indústria ainda sobrevivem na cidade. Em Cannery Row, uma rua junto ao mar em New Monterey, podemos ver fábricas da indústria conserveira abandonadas (foto abaixo). A última fábrica encerrou em 1973, mas os edifícios e o nome da rua mantêm-se. A rua foi imortalizada no livro homónimo de John Steinback, que nos conta a história das famílias que aqui viviam durante a Grande Depressão.

visitar big sur

Outra das atrações de Monterey (e também ligado ao mar) é o Monterey Bay Aquarium. Com 623 espécies de animais e plantas, aqui podemos ver o mundo marítimo de perto. Mas por um preço elevado, já que os bilhetes custam $50. Uma opção mais em conta é olhar a natureza à volta. Na costa de Monterey encontramos facilmente leões marinhos, lontras, focas, golfinhos e pelicanos.

visitar-big-sur-22

visitar-big-sur-25

Finalmente, o histórico Fisherman’s Wharf (Doca dos Pescadores) é um local obrigatório. Construído em 1845, é hoje uma zona comercial e de restauração, cheia de turistas. Foi aqui que, depois de vermos muito peixinho fresco, acabámos por jantar e beber um copo.

visitar-big-sur-15

visitar big sur

Tal como Carmel-by-the-Sea, Monterey é também uma cidade ligada às artes. John Steinbeck  cresceu e viveu aqui, e Robert Louis Stevenson também passou cá longas temporadas.

O Monterey Jazz Festival, que teve a sua primeira edição em 1958, é hoje o festival de jazz ativo mais antigo do mundo e já trouxe músicos como Billie Holiday e Louis Armstrong.

Já o Monterey Pop Festival de 1967 tornou-se mítico. Foi o primeiro festival de rock a sério a nível mundial, com 200.000 festivaleiros. Os primeiros grandes concertos de Jimi Hendrix, The Who (nos EUA), Janis Joplin e Otis Redding aconteceram aqui.  Este festival marcou a a cena da contra cultura, antecedendo o “Summer of Love” que decorreu nesse mesmo ano em São Francisco.

E com esta despedida da Pacific Coast Highway, mergulhados no meio artístico e na contracultura, estávamos preparados para enfrentar a vibe de São Francisco

 

Gostaram de visitar Big Sur através do artigo? Leiam também onde estive antes: em Los Angeles e Santa Monica, em Flagstaff e Route 66, no Grand Canyon e no Zion National Park. Vejam também o Roteiro de 1 mês pelos EUA. Podem também acompanhar o Contramapa no Facebook, Instagram e Twitter.

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

15 replies
  1. palomadiasgarcia
    palomadiasgarcia says:

    Ai que delícia, já estou louca para visitar! suas fotos ficarão lindas e muito profissional, ilustrou muito bem o destino! Adorei 🙂 Lindo post!

    Responder
  2. Marlene Marques
    Marlene Marques says:

    Que engraçado, fiz este mesmo percurso mas de São Francisco para Los Angeles. Como tão bem descreves, é de facto magnífico!! Adorei Carmel-by-the-Sea e em Monterey provei o melhor Seafood Chowder da minha vida! Gostei muito de recordar essa viagem com este teu post. Obrigada!

    Responder
  3. Roadrunner
    Roadrunner says:

    Belas paisagens sem dúvida. E até têm gaivotas. E leões marinhos! E para quem pensava que a comida americana era só hot-dogs e hamburguers, até aparecem umas caranguejolas e umas gambas com belíssimo aspecto.
    Parece realmente que a melhor Califórnia é mesmo a menos conhecida e mais escondida.

    Saudações!

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.