Vamos lá ver. Estar 8 ou 9 horas fechado num tubo de metal gigante (leia-se: avião) a 11 mil metros de altura e ensardinhado com outros 300 passageiros tem muito pouco de confortável. É verdade. Mas existem formas de minimizar esse desconforto, que é especialmente chato em voos de longo curso.

Reuni algumas das dicas para sobreviver a um voo de longo curso aqui, para que possam chegar fresquinhos (vá, menos amassados) ao outro lado do mundo. Eu, pessoalmente, tento sempre descansar o máximo possível – a dormir ou só de olhos fechados – mas existem várias técnicas que podem ajudar. Umas melhores que as outras, mas o que interessa é que cada um encontre a sua fórmula mágica para chegar ao destino impecável.

1 – Trio Maravilha: Venda de Olhos, Almofada e Manta

Esta é a minha preferida. Resulta (quase) sempre. Sem luz, quentinha e com a cabeça bem encostada é a melhor forma que adormecer rapidamente. Descansar num voo de longo-curso é importante para diminuir o efeito jetlag, esse demónio peludo das viagens. Por isso, não se esqueçam de levar estes 3 amigos na vossa mala de mão.

Por exemplo, eu tenho uma toalha de fibra igual a esta e serve de manta e de toalha de banho, ocupando muito pouco espaço na mala. A minha almofada de pescoço é igual à da imagem (aqui)  e é ótima porque tem uma capa fofinha, mas é insuflável, e, por isso, ocupa muito pouco espaço.

travel pillow

2 – Ajustar o relógio para a hora na chegada

É um efeito psicológico, mas resulta. Se eu souber que agora é meia-noite em Bali, vou ter mais vontade de dormir. Se eu souber que ainda são 17h00 em São Francisco, vou tentar aguentar desperta mais algumas horas. Não faz milagres, mas que ajuda, ajuda.

dicas voo longo curso

3 – Roupinha confortável quase-pijama

Esqueçam os sapatos de salto alto e as camisas apertadas. Vão vestidos com aquilo que tiverem mais próximo do pijama. Roupas mais largas e meias elásticas ajudam a circulação. E, acreditem, que isto é importante para quem passa mais de 8 horas sentado a 11 mil metros de altitude. Tenham também especial atenção àquilo que calçam e não apertem demasiado os atacadores…

Eu, pessoalmente, gosto também de me vestir por camadas. Assim, fico mais quente quando quero dormir e não morro de calor quando ligam o ar condicionado. Se optarem por não levar uma manta, levem, pelo menos, um lenço para se cobrirem ou taparem os olhos quando estiver mais frio ou quiserem dormir. Também não convém ir de calçado aberto porque pode estar frio durante o voo. Ténis é a melhor opção.

blogpost1

4 – O encosto mágico da janela

Se o vosso objetivo é mesmo dormir o tempo todo e ser incomodado o menos possível, reservem um lugar junto à janela. É ótimo para encostar a cabeça e dormir, e ninguém vos chateia para passar para ir à casa-de-banho. Perfeito, não é? Só vocês é que vão ter de chatear os outros passageiros para passar…!

5 – Águinha, muita águinha

Voar a muitos mil pés de altitude causa elevados níveis de desidratação. O ar lá em cima tem uma humidade de quase 0%! E é preciso compensar. Bebam muita água durante o voo e levem um creme hidratante para cara e mãos.

6 – Não brinquem ao bar aberto, OK?

OK, pode ser tentador voar na TAP ou Lufthansa e poder beber 1, 2, 3 copos de vinho à refeição. Mas, num voo de longo curso, é importante descansar para afastar o monstro-jetlag e, vamos lá ver, o álcool pode não ajudar. Um copinho de vinho pode ajudar a adormecer, mas ninguém se quer sentir mal disposto naquele tubozinho de metal. E, para mais, o álcool desidrata. Da mesma maneira, resistam ao vício português do cafézinho depois da refeição e escolham antes um chá (mas não Chá Preto!).

dicas voo longo curso

7 – Comida leve, sono pesado

A ingestão de hidratos de carbono pode ajudar a diminuir o jetlag (pão, massas, etc.), mas não comam demasiado durante o voo. Vão sentir-se pesados e a digestão a altas altitudes é mais complicada. Tragam snacks para não passar fome durante o voo (as refeições gratuitas são bastante parcas e, em certas companhias, nulas), mas escolham alimentos leves: barras energéticas, fruta ou iogurtes.

8 – Não te fies na companhia aérea para te entreteres a bordo

No meus dois primeiros voos de longo curso (TAP e Lufthansa) o sistema de entretenimento a bordo era bastante bom. Cada assento tinha um televisor e cada passageiro podia escolher que filme, série ou música queria ouvir.

Ora, ao meu terceiro voo de longo curso, fiei-me na virgem e apanhei a seca da minha vida. Havia um televisor para cada 20 passageiros e eu não tinha qualquer controlo sobre o que estava a ver. E lá tive que levar com um ecrã demasiado longe, a passar uma qualquer comédia romântica dos anos 90.

Conclusão: Levem o vosso próprio entretenimento. Quer seja livros, smartphone, phones, tablet ou computador. E levem tudo bem carregadinho, de bateria e de filmes, séries e música. Eu levo sempre um livro bem gordo. É fantástico, a bateria dura e dura. Pena é o peso de ter de o carregar…

dicas voo longo curso

9 – Ginástica no avião

Se vos costumam doer as pernas e pés durante o voo, façam alguns exercícios a cada par de horas. Passeiem pelo corredor, ou simplesmente, levantem as pernas no vosso assento ou mudem de posição.

Espero que estas dicas vos tenham ajudado a não encarar o vosso próximo voo com terror. Acho que ninguém gosta de ficar fechado num avião durante mais de 8 horas, mas existem formas de minimizar o desconforto. Não é preciso cumprir todas estas dicas para sobreviver a um voo de longo curso, claro. O importante é que cada um encontre a sua fórmula mágica.

Se gostaram as dicas para sobreviver a um voo de longo curso, sigam o Contramapa no Facebook.

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

4 replies
  1. Bruno
    Bruno says:

    Em regra consegues saber quais são os brinquedos que vais ter ao dispor no teu avião – basta pesquisares pelo modelo e pela companhia no seatguru.com
    E em voos de longo curso tive sempre comida, e muita! Já fizeste um voo desses sem comida?
    Ler costuma ajudar-me a adormecer. A ver filmes não vou lá…

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Não conhecia este site, obrigada pela dica! Fui espreitar e é muito útil! 😛 Voos longos sem comida tive uma vez um charter e foi terrível. Mas por norma, acho que os voos longos normais têm sempre uma refeição, ainda que pequena. Até ver…

      Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.