,

Alojamento em luxo low-cost? É possível? Sim, com os poshtels!

Desde que comecei a viajar nos tempos de faculdade, que fiquei fã dos Hostels. Utilizava o Hostelworld compulsivamente e ficava maravilhada com o facto de se poder encontrar alojamento numa camarata por 10€ (ou menos!) em Berlim, Praga, Budapeste…

Hoje em dia continuo a preferir Hostels. A verdade é que o dinheiro que poderia gastar num bom hotel, prefiro gastá-lo numa boa refeição num restaurante ou numa atividade que me deixe memórias para o futuro – tipo, andar de balão na Capadócia ou passear com elefantes na Tailândia. Mas isto são opções de cada um, claro.

Contudo, existe uma tendência no mundo do alojamento que promete satisfazer os viajantes que não querem pagar assim tanto, mas também não querem ficar num dormitório de paredes brancas e camas que rangem a cada suspiro com lençóis mudados sei-lá-quando, a partilhar o quarto com 10 pessoas.

Identificam-se? Conheçam os poshtels!

O que são poshtels?

Os poshtels estão na moda e combinam o “hotel de charme” e um preço próximo de hostel. São espaços criativos e sofisticados, mas não rebentam com todo o nosso orçamento de viagem. São um meio-termo, vá, onde podemos contar com espaços limpos e lençóis lavados, restaurante ou bar, e, muitas vezes, pequenas regalias. Pesquisei um pouco e encontrei alguns dos poshtels com melhor relação de qualidade-preço em cidades europeias, para que possam ter uma ideia do que estou a falar.

Melhores Poshtels na Europa

1 – Clink78, Londres, Reino Unido

O Clink78 situa-se num antigo tribunal com mais de 200 anos (78 King’s Cross Road), bem no centro da cidade e perto da estação de comboio com o mesmo nome. Com uma decoração alternativa, o espaço oferece pequeno-almoço a todos os hóspedes. Na cave do espaço existe o Clash Bar, onde muitas vezes há música ao vivo. Existem dormitórios a partir de 21€ por pessoa, e quartos privados desde 46€ por pessoa. A marca Clink está a expandir e existe já o Clink261, também em Londres, (261-265 Grays Inn Road) e o ClinkNoord, em Amsterdão (Badhuiskade 3).

Clink78 - Londres, Reino Unido

Clink78 – Londres, Reino Unido

Clink78 - Londres, Reino Unido

Clink78 – Londres, Reino Unido

Clink78 - Londres, Reino Unido

Clink78 – Londres, Reino Unido

2 – Maverick Hostel & Ensuites, Budapeste, Hungria

O Maverick Hostel ocupa o espaço de uma antiga mansão real, com uma entrada majestosa e muitos quartos de pé direito alto. Localiza-se mesmo no centro da cidade, a 15 minutos a pé de tudo o que se quer ver em Budapeste (Budapest 1051 Ferenciek tere 2), e existe um supermercado no edifício, além de chá e café gratuito para todos os hóspedes. E o preço? Excelente para o que o espaço oferece. A partir de 17€ nos dormitórios e 21€ por pessoa nos quartos privados. Existe a possibilidade de pedir cama extra nos quartos e o Maverick oferece ainda 5% de desconto para quem fique mais do que uma noite.

Maverick Hostel

Maverick Hostel & Ensuites – Budapeste, Hungria

Maverick Hostel & Ensuites - Budapeste, Hungria

Maverick Hostel & Ensuites – Budapeste, Hungria

3 – Generator Hostel, Barcelona, Espanha

Num espaço amplo, o Generator Hostel de Barcelona fica junto ao Passeig de Gràcia e à Avenida Diagonal (Carrer de Còrsega, 373-377), numa zona bastante central, mas ligeiramente afastada da confusão das Ramblas. O lobby do hostel possui uma escadaria grande e o espaço apresenta uma mescla de estilos, com uma biblioteca própria e uma sala de estar para os hóspedes. Muitos dos quartos privados têm um terraço próprio e todos eles têm uma casa de banho, o que é um luxo. “E por quanto, senhores?” – perguntam vocês. A partir de 10€ nos dormitórios e 25€ por pessoa nos quartos privados. Uma pechincha. E por mais 4,5€ têm direito a um pequeno-almoço continental, para começarem o dia com o pé direito. O Generator é uma cadeia de hostels e, além do espaço em Barcelona, tem também hostels em Berlim, Paris, Veneza, Copenhaga, Dublin, Hamburgo, Londres e Roma. Basta consultarem o site aqui para saberem os preços em cada uma das cidades. E se acompanharem o Twitter do Generator Hostels, podem ainda ter promoções adicionais.

Generator Hostel - Barcelona, Espanha

Generator Hostel – Barcelona, Espanha

Generator Hostel - Barcelona, Espanha

Generator Hostel – Barcelona, Espanha

4 – The Circus Hostel, Berlim, Alemanha

O Circus é composto por um hostel, um hotel e um conjunto de apartamentos, tendo uma filosofia que valoriza o design e a sustentabilidade. Localizado no centro de Berlim (no zona de Mitte, na Rosenthaler Platz), fica bastante próximo da Ilha dos Museus, da Alexanderplatz e de outros pontos de interesse na cidade. No espaço existe também uma cervejaria com produção própria na cave do hostel, e o bar Katz & Maus que oferece música ao vivo aos fins-de-semana. Os preços começam nos 19€ para dormitórios e nos 24€ por pessoa para quarto privado.

Circus Hostel - Berlim, Alemanha

Circus Hostel – Berlim, Alemanha

Circus Hostel - Berlim, Alemanha

Circus Hostel – Berlim, Alemanha

5 – Kex Hostel, Reiquejavique, Islândia

Kex significa bolacha em islandês. Pois que este hostel eclético e vintage foi, em tempos, uma fábrica de bolachas. Transformado e restaurado, alberga hoje até 142 hóspedes, oferecendo um conjunto de serviços, tal como bar, aluguer de bicicletas, pequeno-almoço buffett, sala de estar, entre outros. Dentro do hostel existem ainda festas e música ao vivo com frequência, um cabeleireiro e um ginásio bastante rústicos, e uma pequena biblioteca. O que se pode querer mais? Um pequeno luxo por 22€ nos dormitórios e 47€ por pessoa nos quartos privados. Fica localizado no centro – não é difícil em Reiquejavique – perto dos pontos de interesse (Skúlagata, 28), e partilha o espaço com o Living Art Museum.

Kex Hostel - Reiquejavique, Islândia

Kex Hostel – Reiquejavique, Islândia

Kox - Reiquejavique, Islândia

Kox – Reiquejavique, Islândia

6 – U Hostel, Madrid, Espanha

Localizado num dos bairros mais movimentados, o U Hostel fica entre as estações de metro Alonso Martínez e Bilbao (Calle Sagasta, 22), próximo do centro de Madrid e muito acessível em termos de transportes. O palácio do século XIX foi totalmente restaurado e hoje apresenta, além dos quartos, salas de estar comuns com televisão, terraço e bar/restaurante para pequenos-almoços e cervejas de fim de tarde. O pequeno-almoço completo custa apenas 3€, os dormitórios ficam a 16,50€ por noite e os quartos privados desde 25€ por pessoa. Hala Madrid!

U Hostel - Madrid, Espanha

U Hostel – Madrid, Espanha

U Hostel - Madrid, Espanha

U Hostel – Madrid, Espanha

Nota: todas as análises de preço foram realizadas para o mês de Novembro, para dias de semana, com aproximadamente 4 meses de antecedência.

Gostaram do que leram? Não se esqueçam de dar um “Gosto” na Página de Facebook do Contramapa aqui. Podem também seguir-me no Twitter e no Instagram.

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

Novidades, dicas de viagem e promoções diretamente na tua caixa de entrada. Introduz o teu e-mail para saber tudo em primeira mão.

CONTRAMAPA

20 comentários
  1. Marlise Vidal
    Marlise Vidal says:

    Olá Diana,
    Excelente o seu artigo. Já tinha ouvido falar deste conceito mas não com este nome. Bacana!
    Escrevi um artigo outro dia sobre como reservar hotel e vou acrescentar esta informação.
    Abs, Marlise

    Responder
  2. Maria João Proença
    Maria João Proença says:

    Confesso que nunca tinha ouvido falar deste conceito, mas parece ser interessante. E concordo que o dinheiro que se poupa ao ficar em hostels ou nestes poshtels poderá ser usado em actividades interessantes! Mas passear com elefantes na Tailândia não… eles estão bem melhor em liberdade. 🙂 Obrigada pelas óptimas dicas!

    Responder
  3. Francisco Agostinho
    Francisco Agostinho says:

    Oh pá era agora que o meu pai diria: “inventam tudo…” Poshtels ?? Nunca tinha ouvido falar mas parece me muito bem dado partilhar da tua escolha , isto é, comer melhor e fazer uma actividade em vez de gastar um dinheirão num sítio para estar de olhos fechados hahahahah

    Responder
  4. Marlene Marques
    Marlene Marques says:

    Boa dica! Confesso que dormir em camaratas com mais uns quantos viajantes, sujeita a roncos e outros barulhos, não é bem a minha praia 😉 Mas estes hostels parecem ser uma ótima opção para quem procura algum conforto sem ter que gastar muito dinheiro.

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Mas é isso mesmo Marlene! O hostel já não tem de ser aquela camarata estranha num espaço pequeno e sujo. Já há muita coisa boa… por exemplo Portugal já têm ótimos hostels!

      Responder
  5. Vaneza Narciso
    Vaneza Narciso says:

    Também sou fã dos hostels. Mas poder se hospedar com um pouco mais de conforto com um preço em conta é melhor ainda. O melhor hostel que me hospedei até hj foi em Berlim, the cats pajamas. Um hostel novo e muito bem estruturado. Você tem alguma indicação pros EUA, na Califórnia?

    Desde já muito obrigada!

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Olá Vaneza!
      Sim, algum conforto também é importante! Na Califórnia não fiquei em nenhum hostel, já que fiz couchsurfing em São Francisco, acampei no Yosemite e fiquei num hotel barato em Las Vegas. Vai viajar para lá em breve?

      Responder
  6. Luiz Jr. Fernandes
    Luiz Jr. Fernandes says:

    Esse nome é novo pra mim heheh, já fiquei em alguns eu acho mas não sabia dessa nomenclatura nova 🙂 A Europa é mestre em ter bons hostels, com preço acessível, excelente localização, quartos compartilhados mas com exímia limpeza e excelente espaço privativo, nem dá vontade de ficar em hotel né não?! Belo post! Abraços!

    Responder
    • contramapa
      contramapa says:

      Obrigada Luiz
      Realmente na Europa os Hotéis têm a vida complicada! No Brasil não sei como é a situação, mas no Rio e em São Paulo também já deve haver hostels bacanas, não?

      Responder

Deixa um comentário

Gostaste do artigo?
Tens dicas para partilhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.