Como foram acompanhando ao longo dos últimos posts, Cuba não foi propriamente um destino fácil para mim. A viagem começou muito mal, a coisa foi se endireitando ao longo dos dias, mas nunca chegou a tornar-se numa viagem que entre para o meu top.

Talvez tenha sido um mix entre expectativas demasiado elevadas e falta de preparação antes da viagem, mas esta mistura de sentimentos levou-me a escrever este Prós & Contras da viagem a Cuba. Mas não contem com o dramatismo da Fátima Campos Ferreira.

varadero cayo blanco

Viagem a Cuba: Prós

Aquelas praias paradisíacas

As praias de Cuba são absolutamente fantásticas. Não saí de Varadero, mais especificamente da praia em frente ao meu Hotel – o horroroso Cubanacan Tuxpan – e foi delicioso. O areal é fino e branquinho, a água é limpa e está a uma temperatura ideal – uns 26 graus (em Dezembro e Janeiro). Ou seja, mais quente do que no pico do Algarve, mas ainda suficientemente fresquinha para nos conseguirmos refrescar (ao contrário, por exemplo, da Tailândia, onde eu entrava no mar e ficava na sopa). Portanto, perfeito!

Além de Varadero, existem as muitas ilhas semi-desertas, como Cayo Largo, Cayo Coco, Cayo Guillermo e Cayo Santa Maria. Eu fui um dia a Cayo Blanco, que ficava a aproximadamente 1 hora de barco, e pronto, descobri o paraíso na terra.

Segurança nas ruas

Cuba é, em geral, um país MUITO seguro. Principalmente se considerarmos que estamos no meio da América Central, onde temos países muito problemáticos como a Jamaica ou o Haiti. Em Cuba, podemos simplesmente sair do Hotel em Varadero e caminhar até à estação de autocarros sem que ninguém nos olhe de forma mais estranha. Podemos perder-nos em Matanzas e Havana, que não nos vamos sentir inseguros.

Os cubanos podem querer falar connosco para pedir dinheiro ou qualquer “bem”, mas não tentam assaltar ninguém. É por isso que Cuba é um bom destino para quem quer fazer praia no Caribe, mas também explorar uns pontos culturais sem andar em carneirada.

Diversidade do Destino

Cuba não é só praia. O país tem muitos recantos por descobrir longe dos aglomerados de turistas e das praias. A verdade é que não me preparei como deveria para esta viagem, mas quem faça esse esforço com a ajuda de alguns sites, consegue planear uma viagem com muita diversidade.

Tenho pena de não ter conhecido Pinar del Rio, Vinales ou Las Terrazas, no norte da ilha. E tenho pena de não ter conhecido a Isla de la Juventud, Santiago de Cuba e El Cobre, mais a sul. Para planearem a vossa visita a Cuba, consultem o Cuba Junky, o Truly Cuba e, claro, o site da rodoviária para marcarem com antecedência o vosso autocarro na Via Azul. Existem também comboios em Cuba, que são utilizados pelos locais. No entanto, como existem preços específicos para estrangeiros, acaba por não compensar em relação ao autocarro, que é mais barato. De qualquer forma, para viajar de comboio, é preciso comprar o bilhete na estação.

Cayo Blanco.

Havana

Viagem a Cuba: Contras

Padrão de Qualidade Baixo

Como a iniciativa privada é reduzida ao mínimo, tudo o que é serviços tem um padrão de qualidade baixo. Se esperam encontrar hotéis luxuosos, restaurantes requintados, grande variedade de refeições com ingredientes de alta qualidade, esqueçam. É um país comunista, OK? Sofreu um embargo durante dezenas de anos, que apenas agora está a ser levantado pouco a pouco. Tenham paciência e levem tudo com calma. E não dá para pedir livro de reclamações, tá?

Um exemplo de qualidade de serviço duvidosa (mas com a sua piada) é a imagem abaixo. A empregada de limpeza do nosso quarto decidiu ser criativa e adicionar uma peça de roupa que tinha guardada na mala ao típico cisne que se faz sobre as camas. Até hoje não sei se foi encantador ou um certo abuso de confiança. Talvez os dois.

Havana

Armadilhas para Turistas

Ah, as boas armadilhas para turistas que há em todo o lado. Cuba não podia ser exceção. Tal como em todos os países pobres com grande fluxo de turismo, os cubanos têm aquela tendênciazinha para tentar enganar e ganhar uns pesos. De entre as tentativas mais óbvias às mais criativas, listo abaixo as que me lembro de ter sido alvo:

– “És tão linda, bonita e ai esses olhos… Essa roupa fica-te tão bem, és tão bem feita… Não tens 1 pesito para mim?”

– “Anda ali comigo que te mostro uma zona proibida do museu e podes tirar umas fotos… E já agora não tens dois pesitos para mim? E esse batôn que estás a usar, não me o queres dar?”

– “Olha vou te dar uma prenda. Esta moeda tem mais de 100 anos, era da minha bisavó. Vou dar-ta porque gostei muito de ti. Mas olha, ia ali às compras, mas esqueci-me da carteira. Tens uns pesos que me possas dar?”

– “O Malecón? É já ali à frente, eu posso levar-te lá se quiseres… Já agora tens um peso?”

Pronto, estão a perceber a ideia. Esta senhora abaixo também pedia uma pesitos para lhe podermos tirar uma fotografia.

Havana

É difícil ficar fora do Circuito turístico

Em Cuba é difícil fazer as coisas fora do roteiro do turista. Não é de todo impossível (como a Jamaica ali ao lado), mas dá trabalho. Repito: o melhor é planear tudo muito bem antes, até porque as comunicações em Cuba são um desastre. Wifi nem vê-la.

– Saibam de antemão como vão alugar carro e façam-no com antecedência. O mais simples é perguntar no alojamento, logo que cheguem. As grandes companhias de aluguer de carros não funcionam em Cuba.

– Se utilizarem autocarro, reservem antes de viajarem. Nós não conseguimos comprar bilhete de autocarro porque estava tudo esgotado quando chegámos ao terminal de autocarros. Reservem na Via Azul.

– Procurem com antecedência alojamento e leiam os comentários feitos aos hotéis. Vejam o Booking para Havana e para Varadero ou Trinidad. Uma boa alternativa aos Hotéis são as Casas Particulares, geridas por famílias. Não têm todos os confortos de um hotel, mas podemos conhecer e conviver com os locais.

– Os paladares são a alternativa aos restaurantes mais convencionais. Estes são também geridos por famílias e ficam tipicamente nos segundos ou terceiros pisos dos edifícios. Somos recebidos de forma muito simpática e comemos comidinha caseira.

Acima de tudo, interiorizem: vão ter de ir a locais muitos concorridos. Cuba recebe 3 milhões de turistas por ano e o facto de o Estado controlar as atividades económicas faz com que não haja muita escapatória. Tenham isso em mente, planeiem, vão e aproveitem! Boa viagem!

Matanzas

Continuam curiosos? Leiam aqui a minha experiência em Cuba: Chegada a Varadero, Um dia em Matanzas, Primeiro dia em Havana e Segundo Dia em Havana (Praças e Edifícios). Se gostaram da publicação, sigam o Contramapa no Facebook.

Chamo-me Diana.Gosto de ler, gosto de escrever e tenho ganho o gosto de viajar. Decidi juntar as histórias acumuladas neste espaço e chamei-lhe Contramapa. Porque nas contracapas dos meus livros existe sempre um mapa, um sítio onde ir, um local a descobrir. Aqui podem conhecer as minhas histórias e viagens em livro aberto.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.